Convite a quem nos visita

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

A Canção Nova...

Um bem... Um perigo...
Um bem, porque algumas vezes tem mensagens interessantes de conforto humano e espiritual muito bonitas. Fico feliz que uma grande parte das pessoas saiba fazer esse discernimento.
Um perigo, porque para as pessoas debilitadas emocionalmente ou doentes psicologicamente sofrem terrivelmente com a linguagem, com a pressão e com a verborreia sectária que a «Canção Nova» às vezes apresenta.
Ainda agora abeirou-se de mim um jovem, que sofre de uma esquizofrenia e de uma debilidade emocional impressionantes, pelo meio do nosso diálogo falou-me da «Canção Nova». Perante o que me dizia, conclui, que seria melhor não ver mais a «Canção Nova», disse-lhe com frontalidade, por favor não vejas mais a «Canção Nova», diz-me o rapaz com um sorriso luminoso, «é engraçado, que quando vejo a 'Canção Nova', fico mais deprimido e com um peso na consciência terrível». Ora, veja-se, excesso de religião prejudica e faz muito mal. Muito do mal-estar deste jovem, resulta de excesso de religiosidade e dos medos que a religião algumas vezes impõe sobre as pessoas.
A religião se não liberta e se não faz as pessoas felizes não serve para nada. Um basta, devemos proclamar, a toda a linguagem obsessiva sobre o pecado e sobre a mortificação neste mundo para alcançar depois da morte o paraíso. O Deus de Jesus Cristo, Pai/Mãe, não quer de modo nenhum esta tristeza para os seus filhos. Quem anunciar o seu contrário comete um crime grave contra a humanidade e contra Deus. Por isso, a «Canção Nova» e outras manifestações religiosas, sim para pessoas fortes emocionalmente e esclarecidas na sua fé. Para outras, mais débeis e fracas emocionalmente ou já doentes psicologicamente ou doentes da religião, por favor, não vejam mais este canal nem se deixem corromper ainda mais com expressões religiosas que ao invés de vos libertarem vos oprimem. O Jesus Cristo do Evangelho não vos deseja isso. Por favor, libertem-se seguindo Jesus libertador à imagem do Seu Evangelho.
Por fim, não se compreende que bispos, padres e catequistas sejam os principais propagandistas deste canal. A estes em primeiro lugar devia-se-lhes exigir a devida cautela perante tudo, mesmo até o que aparente ser profundamente religioso. Os perigos estão em todo o lado. E neste caso, a meu ver, parece existir desde logo duas faces que é preciso sempre considerar.
José Luís Rodrigues

2 comentários:

tukakubana disse...

"Canção Nova"... Lembro-me de que há uns quatro anos, talvez, foi divulgada no Porto Moniz como sendo a salvação de pessoas e almas, um "excelente" canal de televisão. A curiosidade levou-me a espreitar a emissão on line.E espreitei uma vez para não me "condenar". Deprimente, atrasada, manipuladora de sentimentos e carências, de fragilidades pessoais. Contudo parece-me que CONVÉM à Igreja Romana que "assim seja". Por isso vemos, ouvimos e lemos e não podemos ignorar (como dizia o poeta)que nada há nessas emissões que nos recorde Jesus de Nazaré e o Seu projecto de salvação para todos nós.

Águia Pequena disse...

De fato...
Há coisas maravilhosas na Tv Canção Nova e tantas outras q nos permitem essas críticas. Creio q tudo está mt ligado a RCC e a forma como conduzem os meios de comunicação.
Não podemos jogar menino com água e sabão fora da bacia. Mas a crítica é válida, pessoas perturbadas emocionalmente ou até mesmo mais fragilizadas, sentem-se nada, impotentes diante de tantas palavras de pecado, isso e aquilo.As vezes parece igreja de "crente" tipo "xô satanás".
Mas há programas interessantes, de estudo, debates, etc.
Parabéns pelo blog padre!