Convite a quem nos visita

terça-feira, 28 de junho de 2011

A Festa - um jugo suave

Estamos em tempo de festas populares, os nossos arraiais. São importantes para congregar as comunidades à volta de acontecimentos que requerem sempre alguns gastos avultados. Por isso, é sempre muito importante a pequena partilha de cada um para juntar o muito que é preciso gastar para ser realizada a festa.
Os nossos arraiais têm esta função essencial, congregam e apelam à partilha. Sabe bem sabermos que é um acontecimentos de todos e não uma manifestação egoísta, que antigamente servia para alguns se pavonearem no exibicionismo. Alguns ditos de festeiros quase substituíam o santo a quem se homenageava, faltava pouco para serem colocados sobre os andores, felizmente, esse tempo vai passando.
A nível espiritual, a festa do Santíssimo Sacramento, celebrada em todas as paróquias da nossa terra, serve para louvar e invocar o mistério maior da nossa fé, a Eucaristia. Também as outras as dos santos padroeiros das nossas comunidades, homenageia aquele que as pessoas veneram e invocam como seu protector e que alimenta a sua devoção. Nada de anormal se for tudo muito comedido e com o equilíbrio racional que se deseja. Os fundamentalismos são sempre perigosos e quando se entra por um sentimentalismo doentio prova-nos enjoos, repulsa. Aos santos, as comunidades juntam-se para agradecer, pedir e aprender o seu exemplo de vida cristã.
As nossas festas paroquiais devem servir para nos sentirmos alegres, renovados na esperanaça e justifcados pela fé que professamos em Jesus Cristo. O arraial, acontece no exterior das Igrejas, como sinal dessa alegria que convida ao convívio e à fraternidade. Este momento deve ser aproveitado para retemperar forças e extravasar a alegria de se saber pretencente à comunidade que acolhe na celebração da fé. O arraial, serve os comes e bebes; a música com a respectiva dança; os foguetes; as conversas animadas e o riso. Tudo isto serve para proporcionar o ambiente da festa.
As comunidades precisam disto e cada pessoa individualmente também precisa, porque não podemos estar sermpre sobrecarregados com as contrariedades da vida do dia a dia. É Jesus que ensina: «O Meu jugo é suave e a Minha carga é leve». Assim, a festa serve para aprender que a missão e a condição de ser cristão deve ser vivida e acolhida com a maior das alegrias. Boas festas para todos.
JLR

1 comentário:

tukakubana disse...

Depois que os arraiais deixaram de ser em louvor do Santo mas em função dos artistas, vai faltando o $ e....
Arraial de S.Pedro, Lamaceiros:chegava a ser melhor que a festa da Santa, como arraial, como frequência e participação.Este ano, sábado passado, perguntei ao Padre da paróquia.Não sabia de nada! Ele é que falou e hoje lá se celebra a Missa em honra de S.Pedro e outra amanhã.Só e apenas.Porquê?A "Semana do Mar" MATOU a festa a S. Pedro!Por um lado, talvez que isto leve as pessoas ao que é importante - reflectir. Mas, se calhar, eu sou uma sonhadora....