Convite a quem nos visita

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Para celebrar a igualdade do que é diferente

Hoje acordamos com a notícia do «Público» com o seguinte título: «Bloco lança campanha para assinalar conquista enorme» da adoção gay» e em que se refere a utilização maciça de um cartaz, que se mostra, onde sob um fundo cor-de-rosa aparece uma imagem tradicional do Coração de Jesus e a inscrição «Jesus também tinha dois pais». A intenção é a de celebrar a vitória legislativa na Assembleia da República alcançada no passado dia 10 de fevereiro com uma votação a favor da «adoção gay» que, segundo a notícia, «contou com uma maioria de 137 deputados a favor, sobretudo da esquerda parlamentar, 19 deputados do PSD (entre eles Paula Teixeira da Cruz e Teresa Leal Coelho) e o deputado do PAN, André Silva».
O Bloco de Esquerda dá a seguinte explicação: «A ideia do cartaz com a imagem de Jesus Cristo não pretende ofender nem a Igreja nem a religião, garante a deputada do BE Sandra Cunha. É apenas, diz, uma forma de “mostrar às pessoas” que “sempre existiram famílias diferentes” e que essa não é uma realidade “nova nem recente”. Os dois pais a que se refere o cartaz são, especifica a deputada, “o pai espiritual e o pai terreno” de Jesus Cristo. Sandra Cunha sabe que “provavelmente” o cartaz vai gerar polémica, mas considera-a “bem-vinda”, porque faz com que as pessoas discutam o tema, defende» (Público, 26/02).
Obviamente que são aceitáveis as explicações. Mas, também é mais que evidente que chocará meio mundo e o outro meio mundo passará indiferente como tem passado a tantas coisas que se vai fazendo neste país. Essa grande parte do mundo chocar-se-á com a utilização da imagem do Sagrado Coração de Jesus e com a justificação sobre a igualdade que assiste aos casais do mesmo sexo.
Não fico chocado particularmente com o cartaz. Neste domínio pouco ou nada já me choca. Todos os dias vemos instrumentalizações de elementos religiosos para justificar os fins mais terríveis. Choca-me a pobreza, a fome e a incontável multidão de sem abrigos que este mundo apresenta, a violência doméstica, o abandono dos idosos, a exploração sexual das crianças, a morte de inocentes, as escolas e hospitais em mau funcionamento, o desemprego e a pobreza geral que nos assiste.  Aí sim o rosto de Deus anda profundamente profanado e violentado.  
Ao invés de me ver ofendido ou chocado, vejo-me preocupado que o cartaz venha a ter precisamente o efeito contrário ao pretendido. As posições sobre este assunto delicado extremar-se-ão e adiará a mudança quanto às mentalidades. Uma lei é fácil de se fazer e até fácil de se cumprir. O mais difícil é mudar as mentalidades e as atitudes de tolerância em relação a tudo aquilo que nos ensinaram como sendo diferente.
Não lamento que apareça no cartaz a imagem do Sagrado Coração de Jesus e que ele diga que Jesus teve dois pais. O que logo à partida até é bem verdade. Se alguém considera isso profanação e ofensa, é bom que se saiba que Deus está acima de qualquer profanação e muito para além de qualquer ofensa. Mas é também preciso considerar que toda esta realidade é do domínio da fé e os conteúdos da fé quando são mistério que nos ultrapassa não têm explicação plausível e não se comparam com a lógica deste mundo.
Por fim, lamento que com este cartaz o Bloco de Esquerda tenha contribuído para irritar ainda mais alguns que se manifestam violentamente nas esquinas das ruas rangendo os dentes, alimentando a intolerância em relação àquilo que é diferente. Sim diferente, porque não se pretenda impor como igual aquilo que se apresenta como diferente. E não me parece que daí venha algum mal para o mundo. Basta que se aprenda a conviver com isso naturalmente.
O debate está inquinado com este cartaz e isso não é bom para ninguém.      

2 comentários:

mensagensnanett disse...

BANDALHEIRA: pessoal que não se preocupa com a construção duma sociedade sustentável (média de 2.1 filhos por mulher)... critica a repressão dos Direitos das mulheres... todavia, em simultâneo, para cúmulo, defende que... se deve aproveitar a 'boa produção' demográfica proveniente de determinados países [nota: 'boa produção' essa... que foi proporcionada precisamente pela repressão dos Direitos das mulheres - ex: islâmicos]... para resolver o deficit demográfico na Europa!?!?!
.
.
AUTARCAS EM GRAVE DESLEIXO
Uma riqueza que as regiões/sociedades não podem deixar de aproveitar
.
-» Muitas mulheres heterossexuais não querem ter o trabalho de criar filhos... querem 'gozar' a vida; etc;
-» Muitos homens heterossexuais não querem ter o trabalho de criar filhos... querem 'gozar' a vida; etc;
CONCLUINDO: é uma riqueza que as sociedades/regiões não podem deixar de aproveitar - a existência de pessoas (homossexuais ou heterossexuais) com disponibilidade para criar/educar crianças.
.
---» Já há mais de dez anos (comecei nos fóruns clix e sapo) que venho divulgando algo que, embora seja politicamente incorrecto, é, no entanto, óbvio:
- Promover a Monoparentalidade - sem 'beliscar' a Parentalidade Tradicional (e vice-versa) - é EVOLUÇÃO NATURAL DAS SOCIEDADES TRADICIONALMENTE MONOGÂMICAS...
{ver blogs http://tabusexo.blogspot.com/ e http://existeestedireito.blogspot.pt/}
.
.
.
P.S.
Tal como eu explico no blog «http://tabusexo.blogspot.com/» - o Tabu-Sexo não se tratou de um mero preconceito... foi, isso sim, uma estratégia que algumas sociedades adoptaram no sentido de conseguirem Sobreviver... leia-se: o Tabu-Sexo tinha como objectivo proporcionar uma melhor Rentabilização dos Recursos Humanos da Sociedade... leia-se, o verdadeiro objectivo do Tabu-Sexo era proceder à integração social dos machos mais fracos!!!
.
P.S.2.
Uma sociedade/região, para sobreviver, precisa de (como é óbvio ) possuir a capacidade de renovação demográfica.
.
P.S.3.
Existem autoridades de sociedades/regiões (que estão sem capacidade de renovação demográfica) em desleixo:
- não monitorizam/motivam/apoiam uma riqueza que não podem deixar de aproveitar -> a existência de pessoas (homossexuais ou heterossexuais) com disponibilidade para criar/educar crianças.
.
.
Anexo:
Já há alguns anos que aqui o je vem divulgando Direitos que considera serem importantes:
1- O Direito à Sobrevivência de Identidades Autóctones : ver blog "http://separatismo--50--50.blogspot.com/".
2- O Direito à Monoparentalidade em Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas: ver blog "http://tabusexo.blogspot.com/".
3- O Direito ao Veto de quem Paga: ver blog "http://fimcidadaniainfantil.blogspot.pt/".

M.H. R.M. disse...

Prioritariamente, o mencionado cartaz parece-me desde já o símbolo da estupidez, querendo comparar 2 pais de naturezas diferentes( espiritual, no caso de Deus e material, quanto a São José), com a união puramente material de dois homossexuais...
Abraço, reverendo padre.