Convite a quem nos visita

segunda-feira, 10 de maio de 2010

O 'pecado' da Ribeira Seca

In Diário de Notícias do Funchal, 10-05-2010
Vergonhoso! É esta a melhor definição para o que aconteceu, este fim-de-semana, na Ribeira Seca. Todo o enredo que rodeou a visita da imagem peregrina é, aliás, digno de uma espécie de realismo mágico à moda da América Latina. Uma santa, padres e um povo que se sente ostracizado por uma Igreja autista e pouco justa.
Pelo meio, uma suspensão 'ad divinis' que se perde no tempo, sem condenação ou redenção e com política à mistura.
Não fosse risível, tudo isto seria trágico. E trágico para quem? Não para os padres, com certeza, mas para o povo que acredita.
Visto de fora, o episódio até pode parecer de pouco interesse, uma discussão de paróquia em torno de uma imagem de barro.
Mas não é assim para quem tem fé. E, neste prisma, se houve alguém a quem a Diocese e os seus padres ofenderam não foi o padre Martins, mas sim o povo da Ribeira Seca. Esse povo que, pela devoção, constitui a verdadeira Igreja. Esse povo que merecia mais respeito e cuja crença não se compadece com brigas de sacristia. É claro que vão começar a chover versões e explicações para o que aconteceu. Se calhar até chovem críticas e condenações à comunicação social, como é tradição. Mas o 'pecado' cometido na Ribeira Seca tem raízes mais profundas do que a retórica que apenas serve para atirar água benta aos olhos.
Raquel Çonçalves
Nota: com devida vénia…

2 comentários:

José Ângelo Gonçalves de Paulos disse...

Padre José Luís, é um texto muito bem feito da jornalista Raquel.Realmente,aquilo não passou de uma pouca vergonha. Não há nenhuma justificação para que a Senhora da Peregrinação não fosse à Ribeira Seca e entrasse no templo. Mas o bispo aje por cobardice. A Virgem foi ao Trapiche, Manicómio e outros locais onde os seus utentes estão plenamente conscientes do que viram. Só o povo da Ribeira Seca é "duende" e "alienado" . Depois estamos nas virgens de competição a mais antiga é a Senhora do Amparo. Isto não é devoção é um arraial, o qual serve de pastoral da nova evangelização do Bispo Carrilho. O novo santuário mariano é agora a igreja do Imaculado Coração de Maria . Até o Presidente do Governo Regional fervilhou, no seu estilo próprio, ódio,perante uma virgem que,segundo disseram, que era a Senhora da Paz.A igreja estáa cair de podre. E é ver a propaganda aflitiva da igreja catótilca portuguesa à volta do Papa. Até dizem os bispos que ninguém fique em casa a ver o espectáculo na televisão.Todos querem apresentar serviço. Ainda ontem o Bispo de Leiria-Fátima disse que o "coração da espiritualidade portuguesaa é Fátima" Certamente, tem receio de Lisboa e do Porto onde o Papa tb vai.
Quem tem sorte é o Sócrates, que, nestes próximos dias, ninguém falará de política mesmoa adivinhando-se aumento de impostos. Só falta o fado. Já temos os dois "f".

tukakubana disse...

o 3º "f", Angelo Paulos, é o "f" de FADO, fado não como a canção popular mas como o DESTINO dessa gente medíocre que se acha beata e pia, quando chegar a hora da avaliação Divina.
Um dia ouvi dizer que, se chegarmos ao céu havíamos de nos admirar com os que lá encontraríamos. Isto para dizer que não são os que parecem, mas os que o são na essência seguidores do Evangelho, que serão os escolhidos. Na terra é uma triagem, na Eternidade será a escolha.