Convite a quem nos visita

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

O Baptismo que salva

Comentário à Missa do Próximo Domingo
Domingo I da Quaresma, 26 de Fevereiro de 2012
Dom Hélder Câmara, antigo bispo de Recife, Brasil, dizia: «É necessário viver a religião, não só representá-la.» Nesta conclusão, descobrimos o sentido do ser baptizado e mergulhamos na água viva que salva cada um no horizonte último da vida, a salvação. Não basta representar a religião, mas viver a religião em todos os seus aspectos que conduzem à prática da justiça, da paz, da fraternidade e acreditar que é possível um mundo novo onde todos de verdade se sentem à mesa do bem comum.
O Baptismo é um dos vários requisitos indispensáveis para a salvação. São Pedro, compara o baptismo ao dilúvio dos dias de Noé. O dilúvio salvou Noé da corrupção e da perversidade do velho mundo. O Baptismo salva-nos da corrupção e do pecado da nossa velha vida. Uma vez que o texto afirma que o baptismo nos salva, a questão é indiscutível. Por isso, vejamos o que diz o texto: "Ser baptizado não é tirar a imundície corporal, mas alcançar de Deus uma boa consciência…", isto é, pelo baptismo alcançamos a salvação de Deus.
Depois de recebermos o Baptismo a nossa vida não entra num caminho tipo "mar de rosas", sem problemas, sem sofrimentos e sem as peculiaridades de qualquer história pessoal. Todos estamos sujeitos às contingências desta vida. Não devemos temê-las, mas antes devemos robustecer-nos com os ensinamentos de Jesus para as vencermos sempre. O Baptismo é o primeiro requisito desta força interior que Deus nos quer oferecer. O deserto pode ser toda a nossa propensão para a esterilidade do amor. Uma vida toda carregada de egoísmo, de violência e de ódio contra os outros é uma vida no deserto árido sem sombra de existência verdadeira.
As tentações, fazem parte da vida e podem ser uma constante no nosso pensamento e no nosso coração. Porém, se, sob a condição de baptizados, à maneira de Jesus, acreditamos de verdade na mediação fiel do Espírito Santo, nada nos pode demover daquilo que é o mais importante. O espírito de Deus, guiar-nos-á sempre para o bem. Assim, o Baptismo não é o único requisito para a salvação hoje, mas não podemos ser salvos sem ele. "Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: Quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus" (Jo 3, 5).
Neste sentido, conta-se que certo dia, Dom Hélder enviou um homem pobre, desempregado e maltrapilho, a um pequeno empresário amigo, pedindo que o contratasse, apresentando-o como seu irmão de sangue. Diante da sua incredulidade e estupefacção, Dom Hélder responde:
– Desculpe meu amigo, mas João é verdadeiramente meu irmão...
– Mas o senhor disse: irmão de sangue...
– Sim, ele é verdadeiramente meu irmão de sangue. Pois Cristo deu o seu sangue por ele como por mim, por você e por todos os homens. Nós somos todos verdadeiramente irmãos de sangue, pelo sangue do Senhor...
É verdadeiramente este o significado do Baptismo que todos nós recebemos em Jesus Cristo. Deixemo-nos nesta Quaresma transformar por este realidade divina que nos eleva para o dom maior da nossa religião, o dom da fraternidade universal...
José Luís Rodrigues
Imagem Google

Sem comentários: