Convite a quem nos visita

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Réquiem

Nota: Só porque já muitos disseram sobre a trágica memória do 20 de Fevereiro. Então, digo eu uma palavra contrabalançada entre a memória triste e a possibilidade da esperança que a impotência da morte sempre suscita em quem acredita...
..
“Tudo é possível a quem crê” (Marcos 9,23)
..
Creio no silêncio da lama que suja as paredes
Em águas revoltosas na encosta da morte
E no entulho da visão do caos quando disseram todos resquest in pace.
..
Creio nas pedras que se despegam dos poios
Na terra que se solta no abraço das sementes pujantes de vida
E nos rebentes da esperança que fazem as mãos da misericórdia.
..
Creio nas ruas que se encheram de morte no dia do aluvião
Na chuva que impiedosa e no seu poder imenso em água tumultuosa
E nas casas que ante o grito calam a mais sombria tristeza.
..
Creio que não tem nome o desespero de quem se desampara na solidão
Nas lágrimas que testemunham o adeus na tumba da lama
E no limiar dessa linha fica a certeza da reconstrução.
..
Creio no dia a seguir ao esplendor das cinzas
Nas imensas escarpas agora ainda mais sofridas pelas quebradas
E nas árvores arrancadas à força da água e do vento.
..
Creio nos sentimentos que se vergaram à incredulidade
Nas serras altas do tempo tocando o azul do céu imenso na hora da bonança
E nos vales que se recompõe outra vez na fecundidade da natureza.
..
Creio na impossibilidade do que os olhos vêem
E mais não digo da alma inquieta que descansa nos ombros de uma fé
E no amor na alegria da festa que tudo pode e diz em chama.
..
- EIS O DIA DA TEMPESTADE
SINAL DO QUE VIRÁ
PARA SEMPRE
NO CORAÇÃO DE QUEM CRÊ
NA CRUZ E NA LUZ.
José Luís Rodrigues

Sem comentários: