Convite a quem nos visita

sexta-feira, 16 de março de 2012

A mentira

Estranho escrever sobre este tema. Assim me deixei levar pelas teclas do computador e permiti que os pensamentos fossem palpitando sobre este tema estranho. Porém, confesso que me sinto perplexo pelas muitas coisas que me vieram ao pensamento sobre este assunto.
Mentir e mentira, o que serão? Porque se criou esta palavra e porque teve ela de entrar no léxico? - Mentir é normal. E segundo o dicionário mentir é «afirmar como verdade o que se sabe ser falso; enganar»; sobre a mentira, rezam as crónicas, que é uma «afirmação contrária à verdade; embuste». Todos metem e até a realidade muitas vezes engana-nos com as mais descaradas mentiras. Será que Heraclito defeniu com o seu «tudo é devir» a lei que nos permite a justificação para que nada seja seguro nesta vida? - No entanto, que nos livre Deus que alguns valores não permaneçam até ao infinito, até ao descanso da eternidade...
A mentira está ao mesmo nível da necessidade de comer. Muitos acharão que exagero e que não tenho a noção de que toda a vida está marcada irremediavelmente pela limpidez e pela transparência. Uma verdade crua e cruel que temos de admitir é que toda a gente não foge, não pode fugir mesmo – é uma sina que a natureza marcou – a essa condição da mentira. Então seremos todos uns mentecaptos? – Não, somos todos fruto de um ambiente e se não nos fazemos a ele é muito difícil sobreviver. É preciso muito desprendimento e muita ousadia para não se deixar alienar pelas investidas da mentira. Basta olhar à volta e ver a sociedade que somos, amarrada a um sistema de dependências constantes que obrigam a fugir da verdade e deixar entrar a lógica da mentira como tábua de salvação. Muito estranho que assim seja, mas nada mais cruel que esta dura verdade.
José Luís Rodrigues
(Imagem Google)

2 comentários:

rouxinol de Bernardim disse...

Neste país há uma enorme ingratidão. A mentira ajudou tantos a subir ao poder, por que não uma estátua? Haja alguém com um resquício de gratidão e mande erigir uma ao Pinóquio.Locais não faltarão...

tukakubana disse...

È verdade que hoje se serve a mentira como prato frio ou quente, com a indiferença de quem respira.Instalou-se por todo o lado e é, cada vez mais, distingui-la da Verdade, tal o modo como é comesinha. Prudentemente, tentemos não cair na banalidade mesmo que haja dedinhos inquisidores apontados.A moeda tem sempre duas faces!