Convite a quem nos visita

sexta-feira, 4 de abril de 2014

O banco Jonet

A culpa do desemprego são as redes sociais. Fabuloso. Um milhão e quatro centos mil desempregados deste país estão na condição de desempregados porque querem e passam a vida nas redes sociais. Por isso, não têm tempo para irem à procura de emprego. Pergunta-se, procurar emprego a onde, se este país desistiu de pensar nisso, desistiu de dar oportunidades de emprego a todos? - Ninguém imaginaria tamanha inteligência para chegar a esta constatação. Quem a faz é a Drª. Isabel Jonet, a Presidente do Banco Alimentar Contra a Fome.
Na base desta barbaridade, está sempre a mesma convicção que já estava quando pronunciou que «não podíamos comer bifes todos os dias», que os pobres são pobres porque querem. É o que dá quem fica muito tempo numa grande instituição, encegueira-se e alimenta-se da vaidade da obra feita. Por este andar Isabel Jonet, conduz o que construiu para o abismo. E pelo que se vê o Banco Alimentar Contra a Fome, gradualmente converte-se no Banco Jonet que no âmbito da caridade insulta e despreza aqueles que são a razão de ser da sua existência e diante dos quais devia estar de joelhos. 

1 comentário:

Jose Leite disse...

PORTUGAL, A CORRUPTOLÂNDIA!

Há tanta corrupção encapotada
Neste país de ratos, de ladrões,
P'ra nós não sobra nada, mesmo nada,
Fica tudo nas mãos de alguns mamões.
O mal do país é a mamadeira
P'rá cupidez não há regras nem leis
Até há «máfia boa» na Madeira
Mamões boçais, de-mentes, bem sabeis...
O país se afundando neste lodo
No cais da conivência: a justiça!
Aos pobres... dá tareia!, aos ricos: bodo!
Quem manda é a ganância e a cobiça
Sugando Portugal, o povo todo,
E... sempre a mesma corja! Porra! Chiça!