Convite a quem nos visita

domingo, 20 de dezembro de 2009

Missa do Parto dia 21 - Os Reis Magos

Homilia Sétima Missa do Parto dia 21 de Dezembro 2009
Os três reis magos (Melquior, Baltazar e Gaspar) são personagens bíblicos. Segundo o apóstolo Mateus, eles vieram do Oriente, conduzidos por uma estrela. Chegaram à cidade de Belém, local de nascimento do Menino Jesus, trazendo presentes (mirra, ouro e incenso). Estes presentes possuíam um sentido simbólico. O ouro representava a realeza, a mirra (resina anticéptica) simbolizava a pureza, enquanto o incenso simbolizava a fé.
Eram magos, isto é, astrólogos e não feiticeiros. Naquele tempo a palavra mago tinha esse sentido, confundindo-se também com os termos sábio e filósofo. Eles perscrutavam o firmamento e sentiram-se chocados com a presença de um novo astro e, cada um deles, deixando as suas terras depois de consultar os seus pergaminhos e papiros cheios de palavras mágicas e fórmulas secretas, teve a revelação de que havia nascido o novo Rei de Judá e, que ele, como soberano, deveria, também, prestar a sua homenagem ao menino que seria o monarca de todos os povos, embora o seu Reino não fosse deste mundo. Os magos são também no presépio o sinal visível da universalidade da salvação.
No contexto bíblico, a palavra “mago” não significa bruxo ou feiticeiro, mas sim assume o sentido de sacerdote ou sábio. Eles possuíam poderes e dons divinos. A Liturgia da Igreja Católica, celebra o dia de Reis a 6 de Janeiro, mas tendo em conta que actualmente entre nós este dia não é considerado feriado ou dia santo de guarda, a Igreja celebra o dia de reis no primeiro Domingo de Janeiro. À volta deste dia há muitas tradições.
Na tradição cristã os três Reis Magos simbolizavam os poderosos que deveriam curvar-se diante dos humildes na repetição real do canto da Virgem Maria à sua prima Isabel, o "Magnificat", pois a sua alma rejubilava no Senhor, que exaltaria os pequenos de Israel e humilharia os poderosos.
A Igreja celebra os Reis Magos dentro desse simbolismo. Representam os tronos, os potentados, os senhores da Terra que se curvaram diante de Cristo, reconhecendo-lhe a divina realeza. É a busca dos poderosos que vêem em Belchior, Gaspar e Baltazar o exemplo de submissão aos desígnios de Deus e que devem, como os magos, despojar-se dos seus bens e depositá-los aos pés dos demais seres humanos, partilhando a sua fortuna como dignos despenseiros de Deus. Os presentes de Natal também têm esse sentido. São as ofertas dos adultos às crianças que com a sua pureza representam Jesus.

Sem comentários: