Convite a quem nos visita

sábado, 8 de agosto de 2015

A luz de Deus

Terceira Novena
Novena da Quinta
Falar na luz de Deus é concentrar-se em Jesus que se apresenta deste modo no Evangelho: «Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida» (João 8.12). Seguro é isto mesmo, Jesus é a luz do mundo, quem Nele acredita não ficará nas trevas.
Vamos então começar com um pensamento do Papa Francisco que diz assim: «Quantos desertos tem o ser humano de atravessar ainda hoje! Sobretudo o deserto que existe dentro dele, quando falta o amor a Deus e ao próximo, quando falta a consciência de ser guardião de tudo o que o Criador nos deu e continua a dar».
Jesus é a luz enviada pelo Pai não para condenar, mas para nos salvar. Luz que iluminou e continua iluminando através de todos os homens e mulheres seus discípulos e apóstolos de hoje, as nossas mentes, conduzindo-nos a seguir o verdadeiro caminho da verdade e da vida em abundância.
Essa luz é tão forte, penetrante e ofuscante que às vezes fugimos dela, para que ninguém veja a nossa maldade, presente na inveja, o no egoísmo, a na ganância por mais riqueza do que na verdade necessitamos. Por aqui compreendemos o ensinamento do Papa Francisco quando afirma o seguinte: «Se nos aproximarmos da natureza e do meio ambiente sem esta abertura para a admiração e o encanto, se deixarmos de falar a língua da fraternidade e da beleza na nossa relação com o mundo, então as nossas atitudes serão as do dominador, do consumidor ou de um mero explorador dos recursos naturais, incapaz de pôr um limite aos seus interesses imediatos». E vai ainda mais longe no desafio: «Pelo contrário, se nos sentirmos intimamente unidos a tudo o que existe, então brotarão de modo espontâneo a sobriedade e a solicitude. A pobreza e a austeridade de São Francisco não eram simplesmente um ascetismo exterior, mas algo de mais radical: uma renúncia a fazer da realidade um mero objeto de uso e domínio» (Laudato Si, Louvado Sejas, Encíclica sobre a ecologia). Não compreender isto e não ser capaz de o levar à prática, é querer manter-se no escuro, é a fuga do essencial não se deixando iluminar pela luz de Deus.
Jesus é o mestre que veio iluminar a nossa mente e o caminho a ser seguido. Ele nos mostrou de várias maneiras que longe de Deus não há felicidade e que o sentido da vida para nós cristãos radica precisamente na luz do amor e da verdade que emana de Deus. Aqui podemos perguntar, como fazer? – Ele convidou-nos a segui-Lo, mostrou que Ele veio do Pai e que era o próprio Deus, para que acreditando Nele tenhamos a vida em abundância, a vida eterna. Parece fácil, mas não é. É antes um desafio que se renova em nós todos os dias da nossa vida.
No entanto, tudo isto acontece na maior e na mais firme liberdade em cada homem e em cada mulher, por isso, ainda hoje são muitos os que lhe dizem sim e muitos os que lhe dizem não. Este Deus respeita em absoluto a opção, a escolha e a decisão de cada um.

Sem comentários: