Convite a quem nos visita

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Quando os deuses choram

Cristiano Ronaldo pela segunda vez foi eleito o melhor do mundo. Bola de ouro. No momento em que recebe o galardão, pronuncia algumas palavras de circunstância, que tremem com a emoção e engasga-se com as lágrimas. Um momento bonito que provavelmente vez chorar milhões e emocionar outros tantos. Estas são lágrimas de ouro que ninguém fica indiferente e ainda mais se se trata de um compatriota, um conterrâneo. Estamos assim como que tocados pela beleza do momento. Afinal quando os deuses choram o mundo estremece.
Estas lágrimas de Ronaldo são o símbolo da alegria, da festa que a luta, a tenacidade do trabalho, o sacrifício e a entrega ao que se gosta de fazer… Por isso, são um exemplo para tantos jovens que desejam atingir o patamar do sucesso e brilhar, brilhar muito diante dos holofotes do mundo.
Este lado bonito dos deuses que choram para nós e para tantos é o melhor troféu. São a emoção sentida dessa luta constante no mundo inventado para serem os melhores do mundo apenas alguns contra a desconsideração e esquecimento da maior fatia daquilo que o mundo tem de melhor, a humanidade.
Chora Ronaldo, mereces a bola de ouro e outras mais ainda, porque não tens culpa do mundo maltratado em que vivemos. Foste endeusado para chorar apenas e só no momento da recepção dos trofeus. Não toleramos que chores diante do pior do mundo e da nossa condição de ser humanidade, que às vezes é miserável. Fostes eleito para brilhar apenas e só. Porém, prepara-te para os próximos desafios, tolerância zero daqueles que por hora te exaltam e só sabem dizer palavras bonitas por ti e pela bola de ouro que recebeste… Os unanimismos são um perigo e duram pouco.   
Mas, as lágrimas dos deuses escondem outras lágrimas que ninguém quer ver. Aliás, o melhor que o mundo tem que é a humanidade, numa porção pequena onde reina a riqueza, pouco se importa que uma grande parte não tenha direito a lágrimas, não chore diante das câmaras da ribalta. Essas lágrimas não são de ouro. São antes lágrimas de fome, lágrimas de violência escondida e silenciada, porque repudiamos ao máximo misérias e temos que salvar criminosos importantes. Por isso, ninguém quer saber destas lágrimas de gente que nunca chegará a ser deus de coisa nenhuma.
Em tanto lado as lágrimas são pão quotidiano, onde não há emprego para sustentar a família, onde não há pão para matar a fome, onde não há casa para se abrigar, onde não há roupa, onde não há oportunidades nenhumas de trabalho e por isso gastam-se os jovens na toxicodependência, no álcool e em noitadas incontáveis de prostituição. Um rol imenso de lugares de lágrimas e de emoção que ninguém quer saber. Ali, está o melhor do mundo que é a sua humanidade inteira, as lágrimas não são de ouro, mas de água e sal, como símbolo da dor imensa que a injustiça deste mundo recria em cada dia da existência. Para apenas alguns terem ouro e serem os melhores do mundo, quantos não terão que ser vítimas e ser considerados abaixo do patamar da dignidade, sem voz e sem mundo.
No entanto, parabéns ao Cristiano Ronaldo. Que ele seja luz para tantos jovens que anseiam pelo sucesso e que a sua ribalta inspire outros tantos a se entregarem ao trabalho com sacrifício e com honestidade. Afinal, cada um de nós, não precisa de ser deus, basta que se considere o melhor do mundo naquilo que faz no anonimato da sua vida mesmo que sem ouro e sem holofotes.

Sem comentários: