Convite a quem nos visita

sábado, 4 de abril de 2015

A ressurreição: o maior milagre

Domingo de Páscoa
Comentário à missa do domingo da ressurreição (05/04/2015)...
A liturgia do domingo da Páscoa celebra a grande festa da ressurreição de Jesus e abre o caminho para a vida plena, que resulta da vida deste mundo material entregue ao dom e ao serviço dos outros. A ressurreição de Jesus faz a confirmação desta realidade e mais ainda confirma que a vida que se entrega ao serviço do bem comum, livre do egoísmo e da ganância da cegueira deste mundo termina na vitória da vida plena e em abundância.
A primeira leitura dá-nos o exemplo de Jesus Cristo, que veio ao mundo para anunciar e fazer o bem, dando a prova máxima disso, entregou-se à morte por amor a todos, por isso, Deus o «recompensou» com ressurreição. Todos os que se disponibilizam a acreditar nesta forma de viver o amor, devem ser testemunhas desta «boa notícia» de salvação e anunciar este modelo ou caminho de vida a toda a humanidade.
A segunda leitura, tirada de São Paulo aos Colossenses, afirma que a fé nas «coisas do alto» significa acreditar na Ressurreição, a razão de ser do Cristianismo. O que seria a religião cristã se não tivesse essa novidade da vida para além da morte? - Assim, uma vida votada ao esquecimento de Deus e da gratuidade salvadora que Ele nos oferece no Filho ressuscitado, é uma vida sem sentido. Precisamos do mistério. A ressurreição é conteúdo essencial desse mistério que nos envolve.
O Apostolo dos povos, São Paulo, insiste nesta verdade e faz pensar que a solidão dos dias não devem ser uma derrota mas antes uma mediação, um momento que deve permitir a cada um a descoberta da redenção e do sentido da vida toda que Cristo nos revela, com a vitória da Ressurreição ao terceiro dia. O sepulcro vazio mostra-nos como se de um reflexo se tratasse a verdade dos factos relacionados com Jesus Cristo.
Mas porquê o fracasso da vida (a doença, o sofrimento, a morte…)? - Porque, somos como somos, isto é, limitados e sujeitos aos condicionalismos próprios de uma natureza criada desta forma.
No Evangelho, descobrimos que a Ressurreição de Cristo deve ser uma das certezas da nossa fé e da nossa esperança na prática cristã. Porque este é o milagre por excelência que Deus faz acontecer no Seu plano de salvação da humanidade. Pois, o verdadeiro discípulo confirma nesta convicção da fé: «Viu e acreditou».
Com esta fé no coração, cada pessoa humana, procurará com o seu viver, elevar-se sempre para tudo o que a vida tem de belo, para que o milagre da ressurreição não seja uma realidade adiada mas, já hoje, preenche a vida concreta e anima-a cada vez mais, porque sabe, que um dia esse milagre será em plenitude. Uma Páscoa Feliz para todos.

2 comentários:

José Ângelo Gonçalves de Paulos disse...

Padre José Luis Rodrigues, Amigo e Irmão, a Ressurreição do Senhor Jesus já está cá em baixo. A minha preocupação é nascer e morrer. Por que é sempre uma aventura, um caminho, uma aprendizagem permanente. Eu sou ressurecto porque vivo em mim esse dinamismo da renovação, da conversão. Naturalmente, como crente acredito que não ficarei no sepulcro. Encontrar-me-ei "face a face" como diz São Paulo. Então essa, sim, será a minha Páscoa definitiva, porque a Páscoa provisória temo-la todos os dias da nossa vida. Nos nossos quotidianos. Boa Pascoa também para si.

Aparecida Ramos disse...

Boa noite!! Agradeço a partilha de excelentes textos! Tenho 'levado' alguns para minhas páginas no Facebook e em meu blog. Parabéns pelo magnífico trabalho! Abraço fraterno de FELIZ PÁSCOA!!