Convite a quem nos visita

sábado, 17 de outubro de 2015

Travar a pobreza que ameaça 2,8 milhões de portugueses

O Tema para o Dia Mundial da Erradicação da Miséria 2015 é o seguinte: «Construir um futuro sustentável unindo-se para acabar com a pobreza e a discriminação»

No país, Portugal, onde se anunciou até à saciedade que estava melhor, somos confrontados com a dura realidade que entre nós há quase 3 milhões de pobres. No dia mundial da erradicação da pobreza, somos convidados a pensar que nunca poderá existir um mundo sustentável enquanto subsistirem a pobreza e a discriminação, e enquanto os direitos humanos continuarem a ser violados. Um mundo sustentável nunca põe ninguém de lado nem deixa ninguém para trás. Este dia servirá para que tomemos séria consciência que os bens deste mundo estão destinados a todos e que nada há mais do que seguro neste mundo é que estamos aqui a prazo e que as riquezas acumulados servirão enquanto esse prazo não terminar. Se este dia servir para tomarmos consciência de que o egoísmo e a ganância são dos sentimentos mais miseráveis e inúteis que existe, já valeu a pena. Por isso, que sirva para nos convertermos à riqueza da igualdade e ao valor de que o mundo será mais feliz se a todos estiverem destinadas oportunidades iguais.   
O dia 17 de Outubro é, desde 2000, dedicado pelas Nações Unidas a promover a consciencialização sobre a necessidade de erradicar a pobreza e a miséria em todo o mundo. Não deixem de ver e ouvir estes números bem reveladores do desarranjo em que está o nosso mundo. Carregar AQUI. Muito bom...
O Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza celebra-se a 17 de outubro. A data foi comemorada oficialmente pela primeira vez em 1992, com o objetivo de alertar a população para a necessidade de defender um direito básico do ser humano. 
Antes, a 17 de outubro de 1987,  Joseph Wresinski, o fundador do Movimento Internacional ATD Quarto Mundo, convidou as pessoas a se reunirem em honra das vítimas da fome e da pobreza em Paris, no local onde tinha sido assinada a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Ao seu apelo responderam cem mil pessoas. 
A erradicação da pobreza e da fome é um dos oito objetivos de desenvolvimento do milénio, definidos no ano de 2000 por 193 países membros das Nações Unidas e várias organizações internacionais. Neste dia dá-se voz aos pobres e unem-se esforços para acabar com a pobreza.
Pobreza em Portugal
Em Portugal, o número de pobres e de pessoas que passam fome tem vindo a aumentar, em resultado da crise. As instituições de apoio e caridade social têm registado um aumento significativo do número de pedidos de apoio por parte das famílias portuguesas.
Segundo dados revelados pela Rede Europeia Anti-Pobreza, 18% dos portugueses são pobres. De acordo com esta organização, o número europeu que serve de referência para definir a pobreza equivale a um vencimento mínimo mensal de 406 euros.
Portugal surge na 141ª posição do top dos países mais pobres do mundo, com um PIB (PPC) per capita de 23,185 dólares. 
Pobreza no mundo
Dados revelados pela UNESCO indicam que 842 milhões de pessoas continuaram a sofrer de fome crónica entre 2011 e 2013.
A pobreza está a diminuir a uma taxa sem precedentes. Em 1990, 43% da população mundial vivia em pobreza extrema, com menos de 1,25 dólares por dia. Este número reduziu para 21%, mas há ainda muito trabalho pela frente, especialmente no continente africano.
10 países mais pobres do mundo
República Democrática do Congo 
Zimbabwe
Burundi
Libéria 
Eritreia 
República da África Central 
Níger 
Malawi 
Madagáscar
Afeganistão
In Calendarr Portugal
 Em Portugal:
A Rede Anti Pobreza (EAPN) em Portugal exige “uma estratégia nacional” para a “erradicação” de um problema que, segundo as últimas estatísticas, ameaça actualmente 2,8 milhões de pessoas, 30 por cento da população do país.
No contexto do Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, o organismo sublinha “a urgência de travar este flagelo” e chama à responsabilidade o sector político, “que não pode, de forma nenhuma, alegar desconhecimento para a falta de acção”.
“Se olharmos apenas para os números, sabendo que é preciso ir muito para além deles, ficaremos assustados com as crianças que, em Portugal, se encontram em risco de pobreza e ou exclusão social; e ficamos igualmente assustados com os números da emigração e com os números do desemprego jovem”, realça a organização.
De acordo com os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística, cerca de 2,8 milhões de portugueses convivem hoje com o risco de pobreza ou de exclusão social.
In Agência Ecclesia

1 comentário:

José Ângelo Gonçalves de Paulos disse...

Se há sofrimento que me provoca mal-estar, num sentido mais holístico, a POBREZA está à frente de todos os outros sofrimentos. Viver sem trabalho, sem dinheiro, sem moradia, sem alimentos, sem água portável, sem saneamento básico, sem vestuário, sem assistência na saúde: desde o nascituro aos velhos, sem escolaridade, é uma afronta à dignidade da pessoa humana. E, todavia, tantas cartas e documentos, conferências, debates, através dos meios de comunicação social e noutros areópagos, através dos quais se problematizam EXIStENCIALMENTE estas questões, que urge pôr termo.
Basta vontade, eminentemente, política. Obrigado, Amigo e Irmão Padre José Luís Rodrigues por mais este seu blogue que nos instiga fazer mais e melhor pelas nossas irmãs e pelos nossos irmãos mais pobres. Por isso, sou cristão e socialista. Parabéns! E seja um Oásis nesta secura toda na sociedade e na igreja madeirense, que tem uma "Caritas" feita por ricos e nem sequer existe uma Comissão de Justiça e Paz.