Convite a quem nos visita

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Carnaval contra o Papa Francisco

Saudosismos patéticos, carnavalescos que pretendem desafiar o Papa Francisco. É grave que alguém ainda se preste a isto, com vergonha reparo que o antigo Bispo do Funchal, alinhou neste conservadorismo anacrónico e sem sentido nos tempos que correm... Mais vergonha ainda sinto quando recebo a notícia assim:
«Bispo português a celebrar na forma extraordinária (Rito Tridentino em Latim) em Cluny...no ultimo domingo.
Muito latim, rendas , brocados, e luvas vermelhas... Os neoconservadores por cá estão delirantes...
Este Bispo emérito do Funchal, polémico pelo seu encobrimento de padre pedófilo inclusivamente do Padre Frederico, que assassinou um jovem na Madeira há uns anos atrás e fugiu à justiça para o Brasil...
E estas figuras representam que Cristo?»... 
As fotografias não mentem, apreciem e divirtam-se com a palhaçada. Esta gente não pensa que há uma crise tremenda, famílias a passar necessidades básicas graves, um desemprego astronómico que faz sofrer as famílias. Os idosos sem cuidados elementares de saúde, crianças sem pão para se alimentarem condignamente. Tudo o que está aos olhos de toda a gente, mas que estes dignitários não podem ver porque toldou-lhe a visão o luxo de toda a parafernália anacrónica que carregam para celebrar a Eucaristia, que julgo não ser a do Pobre de Nazaré.   O rosto de Cristo está gravemente manchado e sofre horrivelmente por causa de quem se afirma Seu representante. Não conheço e recuso conhecer este Cristo representado por alguns bispos... 










11 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Bom dia Padre amigo.
Concordo contigo e todos sabemos que existe uma camada da Igreja que pretende a todo o custo manter os antigos privilégios.
É a nossa fé em Jesus que nos salva e também a nossa humildade.
Dentro do rebanho existem verdadeiros pastores mas outros ficam vivendo na luxuria e na opulência, sacrificando todos os que os servem em vez de serem eles os servos de Cristo e de toda a Igreja.
Quando o sal não presta tem de ser renovado.

João Silveira disse...

Será que escrever um texto destes não é "também" contra o Papa Francisco?

José Luís Rodrigues disse...

João, mande essa pergunta aos ultra conservadores que consideram o Papa Francisco o Anti-Cristo...

Homens do Mar disse...

Senhor padre vá para o confessionário e deixe de escrever contra os seus bispos.

Bernardo Motta disse...

Do Santo Evangelho de São Mateus, cap. 26:

"6*Jesus encontrava-se em Betânia, em casa de Simão, o leproso. 7Enquanto estava à mesa, aproximou-se dele uma mulher, que trazia um frasco de alabastro com um perfume de alto preço e derramou-lho sobre a cabeça. 8Ao verem isto, os discípulos ficaram indignados e disseram: «Para quê este desperdício? 9Podia vender-se por bom preço e dar-se o dinheiro aos pobres.»
10Jesus apercebeu-se de tudo e disse: «Porque afligis esta mulher? Ela praticou uma boa acção para comigo. 11Pobres, sempre os tereis convosco; mas a mim nem sempre me tereis. 12*Derramando este perfume sobre o meu corpo, ela preparou a minha sepultura. 13Em verdade vos digo: Em qualquer parte do mundo onde este Evangelho for anunciado, há-de também narrar-se, em sua memória, o que ela acaba de fazer.»"

PS: Considero as fotos desta missa como lindíssimas, belos exemplos de uma liturgia esmerada e amorosa. O esmero litúrgico e a beleza dos paramentos não têm que ser vistos como gestos luxuosos e vazios do amor de Deus. Pelo contrário, muitas vezes são usados paramentos antigos, usados há décadas, e que não custam dinheiro nenhum à paróquia quando são usados. Mas mesmo que seja preciso gastar dinheiro na beleza da liturgia, que mal tem isso, se simbolizar o amor a Deus, e o louvor e glória que são devidos a Deus?

Recordemos a mulher com o frasco de alabastro. Recordemos as palavras de Cristo, e como Cristo disse que a memória do amor dessa mulher não ficaria esquecida, e que esse gesto de amor seria recordado de cada vez que se anunciasse este Evangelho.

O primeiro mandamento: amar a Deus acima de todas as coisas.

Um abraço para todos, meus caros irmãos em Jesus Cristo!

Bernardo Motta

João Silveira disse...

Ou seja, pode-se dar ao luxo de ofender os seus irmãos, não so na Fé como também no presbiteriado, porque "os ultra conservadores que consideram o Papa Francisco o Anti-Cristo".

Faz exactamente o oposto do Papa Francisco, que sempre tenta unir a Igreja, com a desculpa de dizer que "eles" fizeram alguma coisa contra o Papa. Faz muito sentido.



José Luís Rodrigues disse...

A diversidade e a pluralidade são um dom de Deus... Quem não quer ser lobo (ou corvo, utilizando a expressão de Bento XVI) que não lhe vista a pele... Obrigado pela vossa partilha e sugestões.

meirita disse...

… o luxo de toda a parafernália anacrónica que carregam para celebrar a Eucaristia, que julgo não ser a do Pobre de Nazaré.
Sr. Pe José, este “luxo” foi (é) vivido por muitos anos na Igreja e mais recentemente por Bento XVI e o grande Santo João Paulo II e mesmo o Papa Francisco que é simples no dia a dia mas no que concerne à parte litúrgica, como ele já afirmou: “para Deus dá-se o melhor”.
Se o Sr. Padre não consegue compreender isto desculpe que lhe diga mas a sua compreensão está ao nível de Judas (tão prestável em favor dos pobres ao repreender o Mestre pelo perfume que aquela mulher gastou com Ele) sem a espiritualidade para discernir o acto de amor para com Jesus, porque para Deus o melhor! E não me lembro de Jesus recriminar este acto de “luxo” que para si foi um desperdício!
O Sr Padre pensa muito humano, muito rasteiro, é preciso muita humildade para reconhecer o nosso pecado porque conforme diz: “o rosto de Cristo está gravemente manchado por causa de quem se afirma Seu representante”.

José Luís Rodrigues disse...

meirita, já passei à frente... Esta notícia já faz parte do passado, assim como o conteúdo que a suscitou. Há mais mundo e mais vida para além daquilo.

Tony Esteves disse...

Sr. Padre.
Admira-me tanto que um padre, que embora formado nos novos tempos condene a Eucarístia em latim. Quer dizer: Durante séculos até ao pontificado de Pius XII foi tudo uma mentira, tudo errado e Jesus não setava presente no altar. Veio o CVII e tudo se tornou mais santo, as igrejas encheram e até nem é preciso milagres para canonizar alguém.
Diga-me Sr. Padre, pode questionar a pobreza e humildade de S. Padre Pio? Digo-lhe, no altar Pe. Pio usava os melhores e mais ricos paramentos e vasos sagrados porque ali estava Deus. Deus é Rei e Rei supremo a Ele damos tudo que temos e somos, a Ele louvor e glória para sempre.
A sua língua cospiu fogo, porque deu a entender o que representa. Alguém comentou que vá para o cofessionário e comentou muito bem. Se lhe dá o direito de criticar um Bispo, celebrando a Eucaristía mais real que existiu e jamais existirá deu-nos a liberdade de o criticar pela sua posição anti-cristã.
As eucaristías de hoje tornaram-se protestantes (hà excepções).
Sr. Padre, eu sou leigo mas o Novus Ordo é o desmuramento da Igreja. Bem dizia Paulo VI: a fumaça de satanás entrou no Vaticano.
Quer dizer o sal que existiu durante séculos não presta.

Ricardo Santos disse...

Bom dia do Senhor, Padre,

pelos vistos desconhece e desrespeita o enquadramento da celebração em geral e em específico, que comenta no blog.

Uma vez que esteve ausente e que sua função julgo ser de evangelização local na sua paróquia, que lhe foi confiada à sua responsabilidade, poderá todavia sempre - como cidadão deste mundo - se prenunciar - na generalidade - sobre questões mundiais.

Obviamente que deixa aos leitores alguma estranheza e dúvida, se por motivos pessoais ou outros, queira reservar a palavra da verdade para si ou para opinião por si manifestada.

Daí que, não será minha função - com leitor - de lhe dar luz e esclarecer da realidade das celebrações por si comentadas, mas ficava-lhe bem, respeitar, aceitar e humildemente reconhecer, que poderá estar ... enganado, não só por desconhecer o espírito da celebração ocorrida mas também por total ausência do local e hora.

O único bonito no seu comentário são as fotos lindíssimas, que apresenta, embora julgo, que não fossem feitas por si. Não nos dá testemunho, que a igreja é lindíssima, esteve cheia de fiéis e que a celebração com o coro, orgão e canto Ave Verum Corpus de Wolfgang Amadeus Mozart foi única. A quem deve-se perguntar pela autorização de utilização das Fotos?

Et dimítte nobis débita nostra, sicut et nos dimíttimus debitóribus nostris, et ne nos inducás in tentatiónem, sed líbera nos a malo.