Convite a quem nos visita

quarta-feira, 5 de março de 2014

Prémio que retrata a nossa miséria

Comentando este premiado cartoon...

«O cartoonista [português] Rodrigo de Matos venceu o Grande Prémio do Press Cartoon Europe. A distinção internacional foi-lhe atribuída por um trabalho publicado no Expresso Economia, em novembro de 2013, que retrata um mendigo a quem é servida uma “sopa” com uma bola de futebol.» Ler no Expresso.
 «O Press Cartoon Europe é uma iniciativa do organismo Press Cartoon Belgium, para distinguir os melhores cartoons publicados em jornais, revistas e meios de comunicação na Internet, oriundos da Europa.» Ler no Jornal de Notícias.
Um prémio dá sempre para ficar contente. Se for atribuído a nós ou alguém muito próximo de nós mais contentes ficamos e se não somos invejosos, ficamos alegres se atribuído a qualquer pessoa, seja lá quem for. Não sabia quem era Rodrigo de Matos, mas fiquei contente que tenha recebido um prémio por este cartoon imaginativo e extraordinário por tudo o que sugere no que se refere a um país inteiro, o nosso país.
Li esta notícia no dia de Quarta feira de Cinzas, primeiro dia da Quaresma de 2014. Ao ver imagem, que me tinha escapado na ocasião em que saiu no Expresso Economia, recebi também uma série de notícias relacionadas com o nosso país. Vou destacar três.
Primeira, li na página de Facebook da Isabel Cardoso, que por sua vez também leu «Através de Uma Página Numa Rede Social», diz assim: «Sabiam que a dívida pública portuguesa acabou de atingir o seu valor nominal mais alto de sempre? Devemos mais de 217 mil milhões de euros, o recorde histórico absoluto em Portugal. Ainda não está estabelecido o valor percentual desta dívida, mas deverá ser superior a 130% do PIB. Isto, só por si, já é muito fofo. Mas, agora, eis um lembrete ainda mais fofo: lembram-se quando, há cerca de 2 anos e meio, Cavaco Silva pressionou o Governo do PS para apresentar a demissão? Nessa época, a dívida pública portuguesa era de cerca de 97% do PIB. Agora, com a dívida pública um terço acima do que era então, Cavaco Silva apoia o Governo do PSD, alegando que é para promover a estabilidade política. É, chama-lhe isso.
Enquanto isso, Portugal continua a "ir aos mercados", pagando juros incomportáveis para pedir dinheiro emprestado aos bancos. São mais de 110 milhões de euros que pagamos por dia, só em juros! Sim, leu bem: 110! MILHÕES! DE! EUROS! POR! DIA! EM! JUROS! Portanto, são 110 milhões de euros em juros, que não abatem sequer ao valor da dívida.
Contas rápidas feitas, rapidamente perceberão como este é um belo negócio para "os mercados". E impõe-se a pergunta: afinal, quem está a resgatar quem? Tudo muito fofo, não é? Bom dia. Estamos acordados?» E ninguém faz nada...
A segunda, prende-se com a natalidade. Li na página de Facebook de Maria Teresa Tukakubana Gois, destaco o seu comentário que diz o seguinte: «Debate-se a NATALIDADE, a sobrevivência do país. O governo cria mais uma comissão (que será a 209ª) pois não tem competência para resolver os problemas. Assim se aumenta a dívida mês após mês. Mas voltando à natalidade, depois de mandarem os jovens sair "da zona de conforto", de mandar os professores "leccionar nos países lusófonos" (ainda não incluíam a Guiné Equatorial), de retirarem benefícios fiscais, reduzirem apoios à educação e à saúde, criarem impostos, os mais elevados da Europa, retirarem meios às escolas, câmaras para as alíneas da educação e transportes, falam de natalidade? Como são todos "jotinhas", ainda em idade fértil, sugiro que procriem à farta. De certeza que se daí nascerem liberais, desde cedo tomarão conta do país que os próprios pais deixaram e filiar-se-ão no PCP ou no MRPP.... Quanto aos jovens que emigraram, terão filhos suíços, alemães, ingleses que, um dia, visitarão a terra dos avós».
Hoje ainda somos pouco mais ou menos que 10 milhões, com este andar em 2050 seremos cerca de 7 milhões. Quando se vai perceber de uma vez que a riqueza de um país é o seu povo...
Terceira notícia, A violência doméstica denuncia valores indecentes e repugnantes. Mais ainda se juntarmos a violência contra os idosos.  A nossa revolta atinge um patamar incrível. O país definha. O país caminha para a destruição, porque se perdeu os valores essenciais. O país perdeu-se às mãos de bandalhos inconscientes que tudo fizeram religiosamente para agradar os agiotas que nos emprestavam dinheiro à custa da morte do nosso povo.
A imagem/cartoon de Rodrigo de Matos, revela que nos resta o futebol que singra no meio da miséria. É caso para dizer-se, pobres, mas bons de bola. Por isso, é tempo de acordar, é tempo de uma luta militante contra tudo o que seja apenas poeira para os olhos.
Hoje é dia de Cinzas que se bota nas cabeças dos fiéis, reparem nas cabeças, não nos olhos, e na cabeça só como símbolo para nos lembrar que estamos neste mundo a prazo, que somos mortais, somos pó, por isso, devemos lutar para que a vida enquanto estamos por aqui deve ser celebrada na felicidade e no bem estar. Nada de submissões. Nada de nos vergarmos ao que meia dúzia pretende. Vamos trabalhar para que o nosso país acorde deste marasmo e façamos com que aqueles que pretendem a sua destruição sejam postos na ordem. O país merece, o futuro merece.

Sem comentários: