Convite a quem nos visita

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Só Deus basta perante o desconcerto deste mundo

Perguntam-me frequentemente qual o objectivo da religião, qualquer religião. Aqui deixo esta nota como possível resposta a esta inquietação.
O objectivo da religião é (re)ligar o transcendente com a vida deste mundo e vice-versa. Sem isso a humanidade cai no vazio e no sem sentido. A religião e a par a espiritualidade servirão o sentido da vida e a felicidade.
Tudo se torna inútil e perigoso quando em qualquer religião emerge o fundamentalismo, a sacralização do poder, o espiritualismo e alienação. Eis o que se está a passar com os grupos radicais que emergem do interior do Islão. Tudo isto é extremamente perigoso para todos nós, porque agrava ainda mais a crise da fraternidade no mundo, o maior problema que nos assiste hoje e dele derivam todos os outros problemas, à cabeça a fome e a guerra.
O nosso mundo faz proliferar uma estirpe de idólatras que vivem alimentados na sacralização do poder. É sempre muito bom que se considere que nenhuma religião tem a verdade toda e se o ideal é o amor para todas, qualquer religião deve pensar-se como caminho entre muitos caminhos possíveis para chegar a Deus, ao bem e à felicidade. Todas as religiões são verdadeiras, mas também abrigam muita falsidade.
Para nós cristão, a religião e a espiritualidade que se deseja estão no Evangelho de Jesus. Vemos aí um Deus que não quer ser adorado pelo medo nem pela opressão dos costumes e dos ritos falaciosos, anacrónicos. É o Deus que busca, que acolhe e que está em todos os lugares da vida, especialmente, onde a vida é desbaratada pela injustiça dos poderosos contra os mais frágeis.
Nenhuma religião se pode dizer «dona única» deste Deus que tem muitos nomes, que perdoa sempre porque é misericórdia e amor incondicional. Digo «Deus sempre», mas Aquele que é tudo em todos para libertar e salvar contra todas as formas de opressão.
Santa Teresa de Ávila tem um lema interessante, que resume muito bem o que se pretende com esta reflexão e que pretende ser luz perante o desconcerto deste mundo em vivemos: «Só Deus basta».

Sem comentários: