Convite a quem nos visita

domingo, 30 de janeiro de 2011

Será utopia ou uma necessidade urgente?

- Face ao que está acontecer no mundo, não pode ser utopia, rezar e desejar esta saudável convivência entre as religiões. Pois, se assim não for, para onde caminha a humanidade? Para a catástrofe? Para o seu fim? - Penso, que ninguém deseja este destino... E não podemos permitir que o veneno do fundamentalismo religioso contamine a boa convivência entre os seres humanos.
Citação:
«Lembro que, há precisamente 1300 anos, os muçulmanos entraram na Península e é inegável que se impôs um razoável espírito de tolerância entre muçulmanos, cristãos e judeus. Não é com esse espírito que é preciso avançar para o futuro? Levo comigo um sonho - um sonho acordado: que um dia a catedral de Córdova possa ser partilhada com os muçulmanos e a basílica de Santa Sofia (Hagia Sophia) em Istambul, partilhada com os cristãos. Dir-se-á que é mero wishfull thinking, utopia irrealizável. Mas eu estou com Ernst Bloch, que, citando livremente Heraclito, escreveu: "Quem não espera o inesperado não o encontrará." »
In Diário de Notícias de Lisboa, «711-2011. 1300 anos depois» por ANSELMO BORGES

6 comentários:

Paróquia Nossa Senhora Aparecida - Vila Rubim Cambará disse...

O Brasil tem 3 milhões de muçulmanos, quase todos descendentes de Libaneses e Sírios. Há também cristãos que possuem uma catedral e um bispo maronita em S. Paulo...Seus descendentes dominam a política, a medecina e o alto comércio (o Vice presidente é dessa origem - Michel Temer), mas nos seus países originais não admitem a democracia que começa, a meu ver, pela liberdade de crenças....Eles querem professar sua crença mas não admitem outras por lá! Como vivem praticamente do petróleo "o esterco do diabo..."a pressão demográfica vai espalhá-los pela Europa toda....É esperar para ver...Dá muita pena, pois temos sangue desta origem na Madeira (marroquinos), e só o respeito mútuo dará a solução para a convivência fraterna.

José Luís Rodrigues disse...

Paróquia Nossa Senhora Aparecida - Vila Rubim, seria desejável o pensamento de São Paulo levado à prática: «Não há judeu nem grego; não há escravo nem livre; não há homem e mulher, porque todos sois um só em Cristo Jesus» (Gl 3, 27-28). Só isto e apenas isto seria suficiente para a salvação da humanidade. Grato pelo seu contributo.

Paulo Olim disse...

O respeito entre religiões deveria ser uma necessidade urgente!
Para que se alcançe o respeito entre religiões o primeiro passo é o respeito entre membros da mesma religião, pois só assim a utopia poderá passar a realidade!!
Infelismente, em meu ver, as religiões seguem não as palavras de Deus, mas sim as palavras e interesses dos homens!!Dai as lutas e guerras que todos os dias acontece por este mundo fora!
Temos este caso na nossa ilha, é só abrirmos bem os olhos!
já diz o ditado: para sermos respeitados temos que respeitar os outros!
A única verdade é que Deus é um só, tenha la o nome que LHE queiram dar!!!Deus é paz, respeito, amor!

Boa semana !!

José Luís Rodrigues disse...

Caro Paulo Olim, as religiões têm do melhor e do pior. Ainda assim, acho que a religião tem um papel essencial para identidade dos povos e a fixação das populações. São importantes como proposta de felicidade e como sentido último para a fronteira da morte. Porém, quando a religião se converte em poder, esquecendo a dimensão do serviço aliando-se aos poderes deste mundo, perde a sua real utilidade. Tem toda a razão, o respeito é essencial para a boa convivência entre as religiões. Obrigado pelo seu contributo.

Marilu disse...

Querido amigo, tenha uma semana abençoada. Beijocas

José Luís Rodrigues disse...

Marilu, também invoco a bênção de Deus para a sua semana. Beijocas