Convite a quem nos visita

quinta-feira, 17 de março de 2016

Outra vez a Páscoa com toda a esperança

Comentário à missa deste domingo: Ramos. Início da Semana Santa ou Semana Maior...
Este dia de Ramos, convida-nos a refletir profundamente na pessoa de Jesus, não como um Rei qualquer que à maneira humana assume o poder e o domínio de uma nação, mas como um Rei obediente, servo sofredor e que se humilha diante de uma missão que depende totalmente de Deus Pai. Neste dia somos convidados à reflexão sobre os nossos projetos. Isto é, procuramos ver se as nossas ações estão em consonância com o bem estar e felicidade de todos.
Por vezes, é um desconcerto muito grande viver nesta sociedade competitiva, que privilegia a posse, o prazer e o poder sobre os outros como se fossem os bens principais da vida das pessoas. Por isso, não nos surpreende que nesta mesma sociedade se gere tanta violência e tanta alienação que conduzem as pessoas para horizontes de desespero e de perdição total. Como satisfazer os anseios de libertação e de vida plena? Como realizar o projeto de Deus na nossa vida concreta? O que significa ser cristão hoje? - Estas são questões que podem fazer parte do nosso pensamento diante do mistério que celebramos hoje e durante esta Semana Santa.
A Semana Santa, merece ser vivida em oração pessoal com Deus, esforço de conversão e maior dedicação aos irmãos. Do Domingo de Ramos à Quinta-feira santa, completamos os últimos dias do grande retiro quaresmal que nos apelou à conversão ou à mudança de vida, para acolher de verdade todo o mistério central da nossa fé. Com a Missa da Ceia do Senhor na Quinta-feira santa à tarde, iniciamos o Tríduo Pascal da Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. São três dias que nos revelam uma plenitude numa trilogia de acontecimentos que nos revelam até onde vai o amor de um Deus cheio de Misericórdia e de ternura.
O culminar de todas as celebrações é a Vigília Pascal na noite de Sábado, madrugada de Domingo. «Esta é a noite...» da glória e da vida em plenitude, como muito bem alude o canto, do Precónio Pascal. Durante esta noite, os diversos gestos simbólicos nos convocam para a grandiosidade do acontecimento que celebramos: eles são a Luz, a Palavra, a Água e a Eucaristia...
Esta Vigília desdobra-se na alegria do Domingo da Ressurreição e nos cinquenta dias do Tempo Pascal até ao Pentecostes, que são considerados como que um único e grande Domingo. A vida que se esgota na perdição dos caminhos reencontra uma luz verdadeira na cruz do amor salvador e que nos guia para a vida plena do amor ressuscitado.
Tudo isto adensa-se numa palavra, a palavra Páscoa, que significa passagem. Passagem do sofrimento e da morte. Por isso, hoje brilha a libertação da dor e canta a vitória da vida contra a injustiça deste mundo. Nesta Páscoa digamos todos: Cristo precisa de mim!

Sem comentários: