Convite a quem nos visita

terça-feira, 16 de julho de 2013

Equívocos da Igreja Católica com os poderes

Muito bem visto...
Opinião no Jornal de Notícias de Rui Osório (14-07-13) com o seguinte texto de opinião. Faltava este esclarecimento e vem colocar os pontos nos is em relação à forma como se vê a Diocese de Lisboa. Toma-se o bispo de Lisboa (Patriarca) como o chefe da Igreja Portuguesa. Tal acontece pelos diocesanos de Lisboa, especialmente, o clero, e as outras dioceses do país também se tomam como subalternas de Lisboa. A comunicação social é o principal veículo onde se impõe este equívoco…
Notas marginais sobre a primeira missa do novo patriarca de Lisboa, na igreja dos Jerónimos.
Com menos pompa, bastaria a circunstância da beleza para que a simplicidade fosse verdadeiramente pedagógica e catequética.
Se a RTP tem obrigações de serviço público, então deve cuidar a sua agenda, não vá falhar na cobertura em direto quando outro bispo, noutra qualquer das 20 dioceses portuguesas, celebrar a sua primeira missa, para se apresentar aos seus diocesanos.
A que título participaram, em Lisboa, os presidentes da República e do Parlamento, o primeiro-ministro e outros ministros?
Nunca é demais dizer que não há uma Igreja Católica portuguesa e o patriarca de Lisboa nunca foi nem é o “chefe” da Igreja em Portugal.
Se os titulares dos poderes temporais desconhecem a natureza da Igreja Católica, bem como a sua imagem e a sua mensagem, então cabe à própria Igreja recusar, com bons modos, cumplicidades e equívocos.Notas marginais sobre a primeira missa do novo patriarca de Lisboa, na igreja dos Jerónimos.

Sem comentários: