Convite a quem nos visita

sábado, 16 de março de 2013

O melhor de todos atire a primeira pedra

Mesa da palavra
Comentário à Missa deste domingo
V Tempo da Quaresma, 17 de Março de 2013
“Quem de entre vós estiver sem pecado atire a primeira pedra”. Esta é a resposta pausada, suave e certeira que Jesus aplica sobre os algozes que pretendem eliminar o mal com violência ou com derramamento de sangue até à morte do pecador. São eficazes as palavras de Jesus porque demovem estes soberbos hipócritas que pretendiam condenar de morte esta mulher.
A mulher pecadora é acusada de um crime grave, “foi surpreendida em adultério”, no tempo de Jesus, tais mulheres eram apedrejadas até à morte, em obediência a uma má interpretação da lei do Antigo Testamento. Para Jesus, esta condenação era bárbara demais.
Mais uma vez, Jesus Cristo, mostra que não tolera hipocrisias e que veio para estabelecer a compreensão e a misericórdia diante do pecado, mesmo que seja uma ofensa grave contra Deus e contra a dignidade humana. A resposta de Jesus revela claramente que o perdão é possível e demove por completo todos os inquisidores que pretendem matar os pecadores.
A hipocrisia é flagrante neste episódio, os moralistas que agora querem purificar a sociedade através da morte da mulher impura, foram também eles beneficiados com os seus serviços. Os mesmos que gritam morte à mulher pecadora também foram servidos pelos seus préstimos.
A sociedade humana é assim mesmo. Por um lado, escrupulosa no cumprimento das regras, mas, por outro, serve-se da miséria quando dá jeito pessoal, mesmo que para tal sejam violados os valores e os princípios da dignidade humana de forma descarada.
Neste sentido, escutando e apreciando o modo libertador e misericordioso de Jesus, fica-nos o pensamento de Oscar Wilde: «Perdoa os teus inimigos: nada os chateia tanto». É isto que Jesus sempre faz perante a hipocrisia de uma sociedade sempre pronta a ser intolerante perante os defeitos dos outros e solícita a impor uma moral desumana que quando chamada a tocar em cada um pessoalmente já não serve, é acusada com os piores ódios ou então com os sentimentos reles da piedade e da vitimização. Jesus escreve no chão esta forma de proceder e aponta a conversão para que cada um e cada qual se toque antes de acusar quem quer que seja. 

1 comentário:

José Ângelo Gonçalves de Paulos disse...

Padre José Luís,meu Amigo e Irmão, este Evangelho é a par do Filho Pródigo, dos mais bonitos. Portanto, Jesus inquieta-nos quando a perdoabilidade e tolerância e aceitação do/a outro/a não é o nosso caminhoou vontade. Os partidos politicos e organizações sindicais e patronais, a própria ccs, não têm essa capacidade e riqueza espiritual de PERDOAR. Os seus agentes só querem atirar pedradas. Têm a dom da acusação. Por eles estava, todo o que prevarica, na cadeia ou na guilhotina ou cadeira eléctrica. E tb a Esquerda/Direita não é permissiva a imperfeições. A via pacífica é só para a Igreja (padres, bispos, cardeais e papas)e mais concretamente para franciscanos de S.Francisco de Assis. O maior Santo de toda a História da Igreja e do Mundo tal como Ghandi, Lanza Del Vasto, Luther King, Nelson Mandela. Ai de nós de Mandela estivesse no lugar de muto boa gente que está permanentemente a acusar o Papa Francisco de ser conivente com a ditadura da Argentina.O que aconteceria à Africa do Sul?!!Não foram Fernando Pessoa, Almada Negreiros, na sua fase inicial do salazarismo, tb apoiantes do regime obscuratista e, todavia, logo que viram o que aquilo eria dar, Pessoa chamava a Salazar "contabilista" cinzentão. Heideiger não foi no princípio apoiante de Hitler quem o acusa, hj, de ser nazi. Ele foi o maior filósofo de sec XX. Portanto, como é exemplar o episódio de Maria Madalena e quem atirou a pedra? "Ninguém, Senhor ".O nosso Edmundo Bettencourt lhe dedicou um fado. Todos e todas da esquerda à direita; progressistas ou conservadores estão manchados de sangue e de calunias a inocentes. Deixemos cada pessoa far-se ao Caminho e sejamos nós mais tolerantes e menos acusadores. Pq todo o ser humano tem direito a reabilitar-se. Leiam Leon Tolstói ou Dostoievski. Precisamos, hj, Construtores da PAZ. E deposito a minha esperança em Francisco, Papa. Ajuda-o, Senhor, pq há muitos "sepulcros caiados de branco" por aí, cuja missão é assassinar o nosso porvir Histórico, não com base em manter a mentira nem ocultar a Verdade, mas cada pessoa tem o direito de superar as suas mazelas.